Buscar
  • Giancarlo Domingues

Medicina de Precisão

Atualizado: 10 de fev.

O mínimo que você precisa conhecer sobre o assunto.

Homem com um dardo na mão mirando em um alvo

Saudações a todos! Após atrasar um pouco nosso novo post, muito em virtude de tudo que está acontecendo no mundo hoje, vamos abordar um tema que tem sido bastante ouvido ultimamente e que algumas instituições já incluíram na sua prática clínica. Hoje vamos falar sobre Medicina de Precisão, em uma abordagem leve e introdutória ao tema.


Como novidade, a postagem de hoje está sendo feita a quatro mãos. Convidei meu amigo e colega de MBA, Dr. Marcelo Balancin, brilhante patologista, que já vivencia a medicina de precisão no seu dia a dia, para escrever comigo esse tema.


Então… o que é, afinal, medicina de precisão? Este não é um conceito exatamente novo mas tem sido revisitado recentemente à luz de avanços importantes em medicina genômica, algoritmos de AI e data analysis e vem ganhando protagonismo com esses impulsos.


A medicina de precisão consiste em entregar o certo. O tratamento certo, na hora certa e para o paciente certo, após um diagnóstico certo. Consiste em somar informações múltiplas para auxiliar o time médico em um melhor processo de decisão clínica, focando em outcome e em value based medicine.


Comparativo de reações diferentes em cada organismo.

Crédito: https://www.foundationmedicine.com/blog/trials-and-outcomes-accelerating-precision-medicine-at-asco-2017


Sendo escrito por dois médicos de diagnóstico, não poderíamos deixar de lembrar neste post que não existe medicina de precisão sem um diagnóstico também de precisão. Um diagnóstico impreciso ou incorreto levará na maioria das vezes a uma medicina inadequada.


Assim, a medicina de precisão vem se opor ao conceito one size fits all, em que, por exemplo um único tipo de tratamento com a mesma dose se aplica para todos, a despeito de background genético, peso, idade, etc.


Isso não é, como alguns podem pensar, medicina cara e para abastados, é medicina adequada a um determinado contexto de um determinado paciente que pode até ser mais barata.


Exemplificando, pensem em um indivíduo com um tipo X de câncer que convencionalmente é tratado linearmente com a terapia I, em falhando essa primeira abordagem com a terapia II e essa também falhando com a III.


Se, com base em data analysis, dados genômicos e algoritmos de AI, podemos saber que esse paciente não responderá bem às terapias I e II, por que não entregar-lhe diretamente a terapia III? Isso vai permitir um tratamento correto e mais precoce, aumentando as chances de cura, sendo inclusive menos caro, pois não se perdeu recursos e tempo tentando terapias com baixa chance de sucesso para aquele determinado paciente.



Comparativo de soluções diferentes para diferentes organismos.

crédito: https://www.lxrepair.com/


Revoluções na oncologia proporcionadas pela medicina de precisão tem sido observadas por médicos, pacientes e indústria.


Alguns exemplos recentes destas revoluções são a imunoterapia para o tratamento de melanoma e a combinação entre imunoterapia e inibidores de tirosina quinase para o tratamento de câncer de pulmão. Estas doenças, frequentemente fatais, foram convertidas em enfermidades potencialmente controláveis aumentando significativamente sobrevida dos pacientes, através da combinação entre alvo genético mutacional dos tumores e estímulos ao próprio sistema imune dos pacientes .


Embora seja lugar comum associar medicina de precisão a tratamento de câncer, ela não se resume a isso. Há vários fatores que podem levar à enfermidades rastreáveis, permitindo intervenção preventiva. Por exemplo, algumas adicções (como o abuso de substâncias ilícitas) podem ser facilitados por traços genéticos, assim como a predisposição ao desenvolvimento de diabetes do adulto. Imaginem moldar um tratamento personalizado a pacientes de risco baseados em suas próprias características. É o contrário da solução one size fits all - pronta atrás do balcão - baseada em estatística populacional de quantas pessoas em mil responderão ao tratamento, não considerando as características pessoais intrínsecas a cada um. Passamos a oferecer algo focado nas maiores chances de um adequado outcome.


As possibilidades, somadas às já realidades, da medicina de precisão são tão expressivas que há um estudo da Deloitte que estima o mercado de medicina de precisão em quase 90 bilhões de dólares até 2023.


Para finalizar, lembramos que nosso objetivo neste post é fazer uma abordagem leve e bastante introdutória ao tema, para que os que ainda não o conhecem ganhem familiaridade com o assunto e possam, assim como nós, vislumbrar as possibilidades proporcionadas pela medicina de precisão. Futuramente abordaremos um pouco mais sobre o assunto e pensaremos juntos um pouco mais sobre a medicina de precisão, avançando também ao conceito de saúde de precisão.


Se gostaram do post por favor compartilhem com seus amigos e conexões e fiquem a vontade para comentar ou nos procurar. Até a próxima!

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo